domingo, 18 de janeiro de 2015

A REVOLUÇAO DOS BICHOS

A Revolução dos Bichos Tupiniquins que o PT quer implantar no Brasil, prece estar fazendo água com a descoberta do PETROLÃO.

terça-feira, 20 de abril de 2010

VOZES DA ALMA - V.I (P.15)

REGRESSANDO PARA A LUZ

Levitando a uma incrível velocidade
Eu deixava saudoso o planeta Terra
Uma força juvenil despertava em mim
Vindo da caldeira que meu peito encerra

Francisco de Assis seguia silencioso
Observando nos detalhes o meu comportamento
A bela morena familiarizava-me com a paisagem
Surpreso eu me deslumbrava a cada momento

Sentia-me como um estudante em férias
Queria esquecer as lutas e as touradas
Mas o anjo moreno lembrava-me a tempo
Havendo touradas, a missão não está findada

Passamos sem pouso por uma cidadela
Situada entre a Terra e o luar
Era uma colônia espiritual transitória
Para espíritos que deveriam reencarnar

Recordei-me que um dia ali estive
Sendo julgado pelos meus crimes na arena
Só agora percebo o quanto sofre
Um homem vaidoso de mentalidade pequena

Tive vontade de rever o amigo Juanito
Ainda estagiando naquelas paragens
Mas fui lembrado pelo bom amigo Assis
Do caráter de urgência da nossa viagem

Nosso destino é a constelação de Sírios
De forma afável contemplou-me dizendo
Em breve voltará a ver Juanito
Podendo ajuda-lo como estás pretendendo

Qual pássaro banhando-se em chuva de estrelas
Prossigo meu vôo rumo ao infinito
Compreendo que se deus é a imagem do cosmo
Ele é surpreendente e muito bonito

Poesia extraida do Livro Vozes da Alma.
Autoria: Leon Diniz.
Reg. de Direitos Autorais nº 322.435 Livro 590.Folha: 95 .
Fundação Bibliotéca Nacional. Ano 2004.

MEU LIVRO NA WEB

A MORTE DO HOMEM DIVINO


Não me contive, levantei o dedo timidamente a exemplo do aluno que busca tirar dúvidas. O instrutor olhou-me consentindo com um aceno afirmativo que eu perguntasse. Ouvi sua voz soar deslizando suavemente dentro do meu cérebro: - Leon aqui é desnecessário o uso do seu aparelho fonador, olhe para mim, estou conversando com você, faça o mesmo comigo, pergunte, usando a mente, isto é, a telepatia. - Desde que vocês aqui chegaram embora não tenham notado só conversamos por telepatia, inclusive quando há poucos instantes eu lhes perguntei sobre o fruto da árvore da ciência do bem e do mal e você exclamou, pedra! Sua resposta não foi oral, mas sim mental.

Tentei então perguntar de forma consciente e tudo saiu bem: - Ilustre mestre, gostaria de saber e creio que o Cel. Rolim, idem, - porque alguns patriarcas Bíblicos sacrificavam animais em oferenda a Deus, havendo um que quase eliminou o filho num ritual de demonstração de fé na voz que ele ouvia e interpretava como sendo a do próprio Deus? - Eu já sabia que esta pergunta viria, mas não ficará sem resposta: – Há momentos na história da vida em que os homens ouvem mais o seu Deus interior do que a infinita sabedoria e a ciência que lhe transmite o Deus Universal misericordioso que não quer sacrifícios. Espera o amor que é a linguagem do Universo, ele não deseja a morte, mas festeja com o desabrochar das flores, o cantar dos pássaros a magia da luz dos astros toda a manifestação de vida.

- Como vimos ha poucos instantes, o humano optou por conhecer e vivenciar a ciência do bem e do mau, que ainda hoje convivem lado a lado, dividindo espaço no império de sua existência, competindo entre si como duas forças antagônicas buscando atingir a supremacia no domínio de sua alma. - O homem fez a escolha de ter estas duas forças opostas reinando na esfera de sua consciência, cabe a cada indivíduo buscar os meios a fim de não permitir que o gênio do mal que ele criou para si supere as inspirações do seu gênio do bem do qual ele também é o criador.

- Uma das maneiras de se superar as forças antagônicas inferiores do nosso interior, passa por começar entender a mensagem do Mago da Dialética que disse a dois mil anos para quem quisesse ouvi-lo.


“CONHECEIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ”


- Portanto ele ofereceu a chave da libertação a qualquer um que buscasse entender a força da sua mensagem. O Messias não estava sugerindo novos nem velhos rituais. Sua proposta era a ciência, o conhecimento, o discernimento, era o fim da ingenuidade com a chegada do censo crítico, para buscar a verdade sobre a origem da humanidade e o motivo que precipitou a sua decadência, a ponto de ter se tornado em muitos momentos mais destruidor que um animal selvagem. - Não é a civilização que torna o homem superior aos animais tidos como irracionais. - O que revela a superioridade da alma é a sensibilidade, é o amor, a generosidade. Ainda hoje há homens que acreditam que existam pessoas que podem ser escravizados, trabalhando a troco apenas da comida.


- O homem deveria cantar glórias à Consciência Cósmica por privilegiá-lo com o intelecto da alma e a anatomia física que o faz se sentir a pérola da criação, enquanto que aos irmãos animais ainda restam viverem presos sobre o domínio dos instintos inferiores, algumas vezes domesticados pelos homens para o abate, em outras para servir de companhia nos lares, quando não é utilizado para a exploração da sua matéria prima ou do seu serviço nas zonas rurais. - Outros menos felizes são criados nos Zoológicos da hipocrisia humana, sob a alegação de fazer pelos animais melhor do que faria a natureza no seu reino selvagem, sempre sobre a alegação de protegê-los da extinção das suas espécies.

- O que aqui ocorreu nos primórdios foi à verdadeira morte do homem Divino, aquele que não precisava de intermediários para se comunicar com a Consciência Cósmica (Deus). - A sintônia com o altíssimo, era direta. - Através dos tempos, poucas criaturas guardaram este potencial, fui um privilegiado guardião destes dotes, pelo menos nas duas vezes em que me foi permitido viver entre os encarnados. - Meu irmão Amenófis IV ou Akenaton também fracassou... Sucumbiu sob o peso da responsabilidade de ter que se opor ao poder militar da corte e governar um povo sustentando a idéia de que era possível manter o Egito afastado de qualquer espécie guerra. Não aceitando a empreitada de atacar nações inimigas nem para se defender, e para piorar a situação conseguiu provocar a ira do poder financeiro dos arquitetos construtores de templos e do clero de (Amon) apresentando o conceito da unicidade de Deus (Atôn) contra a pluralidade de Deuses dos seus algozes, atraindo para si, com esta atitude, toda insatisfação do poder religioso.



































quarta-feira, 4 de novembro de 2009

MEU LIVRO NA WEB.(JESUS O MAGO DA DIALÉTICA).

Cont. do cap. O Mago da Dialética.

A árvore (de pedra) da ciência da vida, que nunca teria seus frutos saboreados fora de tempo, esperava que o homem paulatinamente, fosse comendo outros frutos até sair da infância planetária rumo a maturidade espiritual, para depois então saborear o seu fruto e só após isso poder entender o sentido da árvore do fruto do conhecimento do bem e do mal. Portanto a serpente que não passava de uma alegoria era a representação do intestino humano, que em forma de serpentina, em espiral fica aguardando que a boca voraz do estomago humano traga as vísceras de animais para satisfazer sua gula, até então o estômago e o intestino dos homens fora elaborado pela engenharia genética cósmica para receber não carcaça de seres vivos, mas somente frutos e vegetais.

- Muito bem jovem Leon, murmurou Ramoisés, - feliz observação! - Mas eu não havia falado nada... só pensei no que observei... de qualquer forma estava orgulhoso, enfim acertei uma: - Leon se você controlar sua ansiedade, tornar-se há imbatível em seus estudos e pesquisas, seja disciplinado e tenha serenidade afinal você é um homem à frente do seu tempo. Mas é isso mesmo, aí está o segredo desvendado a respeito do fruto da árvore da vida.

- Antes que qualquer um aqui levante uma dúvida pertinente, vou me antecipando e esclarecendo. Quanto à prática da pesca e o alimento a base de pescado tão comum em todas a eras nas águas deste planeta, lembro, que seria uma atividade inexistente, caso o homem já fosse capaz de extrair do vegetal todas as vitaminas necessárias à manutenção saudável do corpo físico, porém, fica superado um mal maior, pois os peixes não possuem alma individual, mas sim coletiva, eles passam por um processo evolutivo que os diferencia de qualquer outra espécie já surgido nesta esfera. Não tem com seus pares nenhuma relação parental, pois o seu nascimento não é fruto de um coito físico.

- As fêmeas que estão ovulando, põe estes óvulos no local que elas entendem adequado, a seguir os machos passam inoculando estes óvulos com o seu sêmen carregado de espermatozóide que vai fecundá-los, nascendo assim os alevinos que irão se juntar a outros recém nascidos. È raro, mas existem espécies de alevinos que são protegidos por uma fêmea adulta até que eles aprendam as defesas necessárias para sobrevivência no reino aquático.

Na seqüência da exposição o instrutor entregou-me a pedra esférica que simbolizava o fruto, dizendo: - É sua, leve-a consigo Leon, esta é a única lembrança material que sairá daqui, guarde-a com o devido carinho.

- Como vocês puderam notar, enquanto a natureza cósmica trabalhou milênios a fio construindo as Câmaras rústicas e naturais no interior de grutas e cavernas, cujas paredes serviram de telas para estampar as mais singelas expressões artísticas, mas que retratava o cotidiano da vida dos homens primatas oriundos do orbe terrestre.

- Não menos longevidade que as referidas cavernas, possui o mais fantástico monumento da história da humanidade que é a grande Pirâmide de Gizé, cuja construção dá testemunho da maior obra de engenharia cósmica de que se tem conhecimento, e que têm registrado em sua arquitetura todos os segredos da cosmogonia universal, assim como da origem da raça adâmica oriunda de um planeta da constelação de Capela de Auriga e outros orbes, que colonizaram a Terra em plena era dos homens Cro-Magnons, ocupando vasta área que corresponde ao Irã de hoje, até o delta do Rio Nilo.

- Quero que vocês observem atentamente a imagem que vou projetar no quadro. E brandindo mais uma vez seu cajado, fez aparecer no quadro uma magnífica constelação. Ele então explicou tratar-se da constelação de Auriga ou Cocheiro, onde brilhava o belíssimo Sol de Capela. Notei a estupenda semelhança dos contornos daquela constelação com a figura geométrica da Grande Pirâmide do Egito. Identifiquei a entrada principal, o cruzamento entre o corredor ascendente e descendente, o fosso, a gruta, a câmara da rainha, a grande galeria e a câmara do rei. Incrível! Seria uma enorme coincidência?

Indaguei estupefato; - Como poderia aquela fantástica réplica do maior monumento construído sobre a face da Terra estar ali desenhada no céu sobre a cabeça da humanidade há milênios e nem os maiores gênios que o mundo conheceu pode identificar tamanha similaridade? – Élementar meu jovem Leon, pois caberia a você a missão de retornar e relatar tudo para a espécie humana esquecida do seu passado após uma era em que você conviveu com os arquitetos da Pirâmide Cósmica, há doze mil anos ajudou orientar os construtores deste monumento quando ainda não havia Egito, nem estas areias que hoje encobrem todas as suas lembranças e nem o rio Nilo possuía o vigor caudaloso de hoje.

O instrutor prossegue falando mentalmente, e de olhos cerrados como se estivesse em transe, afirma: – Leon você retornou em fins de 1790 da era cristã para ajudar derrubar o véu do desconhecido encoberto pelas areias do deserto que é o manto protetor tecido pelos prepostos do altíssimo com o escopo de resguardar registros importante da presença na Terra dos homens divinos, assim como sua missão foi trazer a verdade deixando um sinal evidente de que é possível com determinação e disciplina vencer a atrofia da mente humana e ler nas pedras o legado do passado que ainda pode ajudar o homem a lembrar de sua origem, e ter estímulo para retomar a caminhada ascendente rumo ao Paraíso de Capela, tornando se assim mestre de si mesmo.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

MEU LIVRO NA WEB.(JESUS O MAGO DA DIALÉTICA).

cont. JESUS O MAGO DA DIALÉTICA

- Caros amigos, prossegue Rámoisés falando, - a transgressão do “não matarás” é portanto a causa maior da decadência do espírito humano, o que atirou este planeta no rol dos mundos inferiores governados pelo império do mal. Este foi o erro original, decodificado por alguns cleros desta esfera como sendo o pecado capital simbolizado num fruto vermelho que é maçã. O vermelho da maçã é a representação do sangue animal que alguns dos primeiros hominídeos da raça Adâmica oriundos da Constelação de Capela de Auriga* derramaram, imitando assim, hábitos primitivos dos Cro-Magnons e seus ancestrais nativos da Terra e que já registravam nas paredes das cavernas as cenas de caçadas, e de combates tribais revelando o predomínio dos instintos inferiores naquela fase da vida planetária. - É importante ressaltar que Adão e Eva, mais do que o primeiro ser do gênero masculino e feminino de uma nova linhagem de hominídeos, foram as duas primeiras almas no processo de transmigração colonizadora de mundos, trazidos de um planeta distante e que aceitaram a experiência da encarnação como filhos de casais Cro-magnons que já habitavam a Terra nesta época. Dando por assim dizer, a origem à raça Adâmica, em uma determinada região do Oriente Médio.

- Acrescentasse a isso a certeza de que na reconstituição da cena do crime, o dolo ou a culpa atribuída à figura da mulher não tem maior relevância que a do homem. Mesmo porque, se o primeiro delito do abate de um animal para se constituir em alimento foi realizado por um ou por outro, não está em questão debater isso por ora. O que importa é saber, porque espíritos com elevados níveis de conhecimentos, vindos de orbes distantes, aqui encarnados a caminho de um processo civilizatório em marcha, cederam a estímulos primitivos já extintos em sua alma há muitas eras, para se igualar àqueles seres inferiores, ainda dominados por hábitos animalescos, que eles tinham como missão ajudar inserir em um novo mundo sob a égide do império da luz e do: “não matarás”.

Ziller foi um eminente mestre de matemática do jovem Rolim de Moura e que se incumbiu da missão de iniciá-lo nos estudos de pirâmidologia e decifrações de enigmas proféticos ainda na adolescência..
Capela de Auriga trata-se de uma constelação que tem nos seus traçados enorme semelhança com a Grande Pirâmide. É também o sistema planetário onde pela tradição espiritualista guarda os segredos da origem da humanidade adâmica.
Novamente um outro texto aparece gravado na rocha: Gênesis, 1: 26- Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder (domínio*) sobre os peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e sobre os animais que arrastam pelo chão. 27- Assim Deus criou o homem, e o criou parecido com ele. Criou o homem e a mulher. 28- E os abençoou, dizendo: - “Tenham muitos e muitos filhos; espalhem-se por toda a Terra e a dominem. Tenham poder (de locomoção)* sobre os peixes do mar, sobre as aves que voam no ar e sobre os animais que arrastam pelo chão”. Olhei para o mestre Rolim e perguntei, - Porque havia dois parênteses grifando locomoção? - Escreva... , não perca nada, depois nos falamos.

Outra inscrição descrevia o versículo de número vinte e nove e com letras em tamanho maior, talvez tentando chamar nossa atenção; 29- Para vocês se alimentarem, eu lhes dou todas as plantas,que produzem sementes e todas as árvores que dão frutos (portanto, não matarás!) . 30- Mas, para todos os animais selvagens, para as aves e para os animais que se arrastam pelo chão, dou capim e verdura como alimento... E assim foi feito. Quando eu imaginava que já estávamos terminando, nova frase surgiu no quadro de pedra, Genesis: 2: 8- Então Deus Eterno plantou um jardim na região do Éden, no leste e ali pós o homem que ele havia formado. 9- O Deus Eterno fez que ali crescessem árvores lindas de todos os tipos, que davam frutas boas de se comer. No meio do jardim ficava a árvore dá vida e também a árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. 16- E o eterno deu ao homem a seguinte ordem: - Você pode comer as frutas de qualquer árvore do jardim, 17- menos da árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. Não como a fruta dessa árvore; pois, no dia em que você a comer, certamente morrerá.


O instrutor chamou-nos a atenção dizendo: - observem vou lhes mostrar no quadro de pedras ambas as árvores, ou os símbolos que as representam, assim dizendo subiu no platô, dirigindo-se à mesa pegando sobre esta uma das pedras de formato esférico. – O que eu tenho na mão? Ah! desta vez fui mais rápido que o Cel. Rolim; - Pedra! exclamei rapidamente. – Não, disse o guia, isso é um fruto perene: – Fruto? resmunguei inconformado: - sim, fruto, afirmou o guia, está aqui a famosa representação da Maçã do jardim do Éden. E saiba que o espírito do homem tem fome do saber e não sede do saber. É por isso que desde os primórdios os conhecimentos do homem foram representados pelos frutos do saber que alimenta o intelecto. O saber é eterno como a rocha, ele é transferível para outras pessoas, mas é indestrutível e perene.


O Poder sobre os peixes das águas e sobre os pássaros do céu, significa o poder de locomoção aérea e naval que o homem poderia vir a desenvolver no futuro.
- Meus amigos as duas árvores plantadas no meio do Jardim do Éden, eram a árvore dá vida e a árvore que dá o conhecimento do bem o do mal, e para que ambas chegassem incólumes até os dias atuais, elas teriam mesmo que serem feitas de pedra. Vou apresenta-las agora mesmo para vocês, descortinando todo o mistério; e assim falando, bateu a ponta do cajado no quadro de pedra, onde apareceram lado a lado uma caverna com desenhos pré-históricos e uma pirâmide tendo em suas paredes desenhadas com hieróglifos. O mais espantoso é que a parede da caverna estava repleta de desenhos cuneiformes onde homens perseguiam caças para matá-las e guerreavam contra seres de sua própria espécie.

O instrutor fez questão de citar que pelo desconhecimento da matéria prima para produzir tintas, muitas daquelas figuras eram cunhadas à base de pedra lascada, ou eram desenhadas com sangue de animais e muitas vezes até sangue humano. Entretanto não se notava o uso de sangue em qualquer inscrição de hieróglifos nas paredes da pirâmide. Está agora desvendado o eterno enigma à cerca da árvore da ciência do bem e do mal. Lembrei-me que uma das formas de grafia da letra “h” no hieróglifo era retratada por uma corda dobrada ao meio se entrelaçando em espiral, intercalando-se em espaços vazios a cada nó como que reproduzindo o formato de uma cadeia de DNA.

Assim mais do que nunca a explicação do instrutor fazia sentido. Lembrei-me que o ano de 1953, mais precisamente o mês de Agosto, foi a última data encontrada na grande Pirâmide, a partir daí se esgotam as datas e as alegorias proféticas no muro sul da Câmara do Rei. Esta data parece demarcar o início do renascimento espiritual da humanidade. Inúmeros místicos e esotéricos não divergem entre si ao afirmarem que em Agosto de 1953 o planeta Terra adentrou definitivamente na futurística era de Aquário.

Este ano representa também um marco histórico que revolucionaria a comunidade científica mundial ligada aos estudos da genética, pois foi em 1953 que o cientista inglês Francis Crick, o americano James Watson e o físico neozelandês Maurice Wilkins, anunciaram ao mundo que o ácido desoxirribonucléico era formado por uma dupla hélice. Estava desvendada a estrutura de espiral dupla do DNA, este feito extraordinário revolucionou os rumos da genética, permitindo a partir daí estudos mais avançados que culminaram nos dias de hoje com o mapeamento do genoma humano, e a decodificação do código genético, bem como estimulou os cientistas genéticistas a desenvolverem pesquisas que tornou realidade a criação dos primeiros clones de animais.

Gênesis: cap. 2. vers. 9 E, o senhor fez brotar no jardim do Éden a árvore da vida, e a árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. Você poderá comer os frutos de qualquer árvore do jardim (subtende-se aqui, inclusive os frutos da árvore da vida). E foi exatamente o que os eminentes geneticistas acima citados fizeram. Eles abriram o caminho para que fosse mapeada a árvore da vida. Mas então que estímulo interno ou externo poderia ter incitado os homens da raça adâmica a infringir o código de edificação moral e espiritual do qual eles eram conhecedores? A final estava impregnada em suas almas os princípios que regem a lei do amor, da ação e reação, da causa e efeito. Porque eles ao tomarem conhecimento da existência da árvore que dá o conhecimento do bem e do mal, procuraram reproduzir as cenas de derramamento de sangue e se alimentarem das víceras de animais tido como inferiores? A solução do mistério estava o tempo lá no meio do jardim no vale do Nilo.

VOZES DA ALMA - V.I (P.14)

A DESPEDIDA DE MADRI

Desperte Pablo a luta enfim terminou,
Deixai que os mortos, seus mortos enterrem.
Dizia-me Assis - quem com ferro fere,
Futuramente tombarão sob os ferros que ferem.

Abraçando-me falou a bela morena,
Pablito não nos separaremos jamais.
A casinha que deixamos será sede,
Da associação de defesa dos animais.

Você será honrado como líder espiritual,
Assis ocupará o lugar de patrono.
Os frutos desta obra se estenderão pela Terra,
Assim como se enchem os pomares no outono.

O amor do astral que a muito nos une,
Transformou-nos em irmãos nesta jornada.
Bem mais que mãe e filho, ou amantes,
Somos almas gêmeas trilhando a mesma estrada.

Livre do incomodo veículo físico,
Meu corpo fluídico levitava qual pluma.
Era fantástica minha sensação de leveza,
Eu olhava admirado e não falava coisa alguma.

Repentinamente passei a ter visões,
Eu seguia flutuando pelas ruas de Madrí.
Embora ninguém notasse minha presença,
Percorri cada recanto onde outrora vivi.

Retornei a arena Central ao por do sol,
Entretanto ela já se encontrava vazia.
Uma enorme mancha vermelha,
No solo arenoso, solitária jazia.

Regressando a minha ex-habitação,
A alegria veio explodir meu coração.
Encontrei amigos e antigos toureiros,
Que se reuniram para continuar minha missão.


Poesia extraida do Livro Vozes da Alma.
Autoria: Leon Diniz.Reg. de Direitos Autorais nº 322.435.
Livro 590.Folha: 95 . Fundação Bibliotéca Nacional. Ano 2004.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

MEU LIVRO NA WEB.(JESUS O MAGO DA DIALÉTICA).

O MAGO DA DIALÉTICA


O príncipe do Egito, agora na condição de nosso instrutor pediu-nos para que tirássemos nossos cadernos de anotações para que tudo o que fosse dito ou mostrado, jamais fosse esquecido, posicionei-me ao lado do Cel Rolim sempre atento, para não perder nada do que estava acontecendo. Rámoisés bateu seu cajado numa pedra retangular, no mesmo instante, o lado externo de uma grande pirâmide formou-se desenhada neste quadro num alto relevo impressionante, parecia real. A seguir o quadro já exibia como que tomado de uma vontade própria o interior de uma das câmaras da Grande Pirâmide. Percebi que num bloco de pedra desta havia algumas inscrições. O Cel. Rolim ordenou-me; - Leon anote isso, fui anotando, e eis o que estava escrito; - “Não matarás”. O autor do texto não assinava o mesmo, lembrei-me de um dos artigos dos Dez mandamentos de Moisés.

Logo abaixo havia outra inscrição assinada pelo autor que dizia; - “Fuja da glória, da honra ou da vingança adornada pelo sangue” – “Castigai o assassinato, porém jamais mate o assassino: o direito de morte só a Deus pertence”... Emanuel, o Alfa e Omega, aquele que foi e sempre será. Neste momento tomei um choque, foi como se uma descarga elétrica potentíssima houvesse me atingido sem me ferir, lembrei-me instantaneamente de Jesus de Nazaré o Rabi da Galileia. O instrutor segue falando como se estivesse em transe: - A magia da presença desta sublime criatura na terra já vem cercada de mistérios desde épocas anteriores àquela que marca o seu nascimento na modesta gruta que servia de manjedoura lá na pequena Belém da Judeia”. Isaías, um dos maiores profetas do antigo testamento anunciava em suas mensagens entre o ano de 742 e 687 antes de Cristo, como seria o nascimento do Messias, e o profeta da natividade já o identificava pelo nome de Emanuel, assim como toda sua trajetória de vida, até os detalhes de como se daria a sua morte no calvário.

Isaías cap. 7: vers. 14, e seguintes. “Ouvi pois casa de Davi. o senhor vos dará este sinal. eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, será chamado pelo nome de Emanuel.” “O que significa Deus está conosco”. “Ele comerá manteiga e mel, até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem.”

O venerando instrutor encostou o queixo no cajado e com ar de reflexão pergunta; – Pensem comigo, qual é o bem mais precioso de toda existência, aqui ou em qualquer outro mundo onde a vida se desenvolva em toda sua plenitude? Eu não sabia a resposta. Rolim se antecipou dizendo; - Eminente instrutor, creio que o bem mais precioso seja exatamente aquele que foi a razão maior das tuas duas vindas a este orbe como missionário do altíssimo e também da vinda de Jesus na Galileia, que é a defesa da vida, tanto dos humanos quanto a dos animais. – Muito bem Plínio! Exclamou ele satisfeito, é por esta tua sensibilidade infinita que Ziller* não se equivocou quando te escolheu para decifrar os enigmas que envolvem a natureza de Deus na Terra. Era tudo muito surpreendente, mas eu ouvia a ambos simultaneamente não pelos ouvidos, mas dentro do meu cérebro. - O Messias que no mundo maior responde pelo nome de Emanuel, nunca se julgou o único exemplo na defesa da vida, mesmo tendo dado a sua própria vida pela causa, pois inúmeros foram aqueles que pereceram e ainda perecerão sustentando a nobreza deste ideal, porém neste e em outros mundos Emanuel é o mais reverenciado e não sem razão, é conhecido como a mais alta expressão da manifestação Cósmica Divina e também é saudado em todas esferas do Universo como o MAGO DA DIALÉTICA, e o Sermão da Montanha é a prova irrefutável de toda a sua autoridade espiritual assim como da sua mais intima ligação com o altíssimo.