terça-feira, 2 de setembro de 2008

MEU LIVRO NA WEB

AS DUAS TESTEMUNHAS

Eu sei que não havia conseguido deixar claro na mente do Cel. Rolim quem eram as duas Testemunhas ou duas Oliveiras da visão do João o Exilado de Pátmos. Talvez Rolim tenha entendido que quando eu falava das duas personagens, estivesse me referindo a nós dois. Foi por isso que ele usou o termo: “seria muita pretensão da nossa parte querermos representar esse papel”. Na realidade eu só tentava demonstrar que poderíamos estar inadvertidamente e sem nenhum preparo após dois mil anos enfrentando as mesmas forças que eliminaram dois dos mais importante prepostos de Deus e que por méritos foram laureados na visão de João do Apocalipse como sendo seus dois Castiçais, duas Oliveiras e Luz do Mundo. Porque João o Batista e Jesus de Nazaré, tiveram que suportar tamanho martírio se suas mensagens eram pérolas para os corações humildes? Passei anos buscando a resposta, até que finalmente a encontrei no Livro do Apocalipse de João, e a resposta estava assinalada ali no capítulo 11: versículo 3.

Sodoma e Egito! “Era nisto que Jerusalém havia simbolicamente se transformado, antes e após o martírio dos dois mensageiros do amor, no modelo de comunidades preocupadas com rituais religiosos, e adoração de homens que faziam da política e do clero o seu meio de sobrevivência. Ali a vida humana e animal não tinham qualquer valor, o peso do ouro era o mais relevante”. Matheus 23: 37 a 38. E Jesus terminou dizendo: - “Jerusalém, Jerusalém! Você mata os profetas e apedreja os mensageiros que Deus lhes manda! Quantas vezes eu quis abraçar todo seu povo, assim como a galinha ajunta todos os seus pintinhos debaixo das asas”.

João o Batista e seu primo, Jesus de Nazaré foram vítimas da crueldade dos homens que representavam o lado maléfico dos três poderes denunciados no Livro do Apocalipse. É importante salientar que, principalmente no processo que determinou a morte de Jesus, os três poderes estiveram presentes. O poder religioso se fez representar nas pessoas de Caifás e Anaás, que eram os sacerdotes do templo. O poder financeiro se manifestou na figura do rei Herodes. O poder militar se apresentou na autoridade de Pôncio Pilatos. Esta visão de João o exilado de Pátmos é uma das muitas que tem caráter retroativo, e que precisa ser garimpada entre àquelas que dizem respeito ao futuro da espécie humana.

Nenhum comentário: