quinta-feira, 18 de setembro de 2008

VOZES DA ALMA - V . I (P 6) -

DIREITO À VIDA

No silencio da arena vazia,
A morena voltou para recordar.
A imagem do toureiro amado,
Que nem o tempo pode apagar.

O seu povo não a perdoava,
Pela morte do grande toureiro.
Julgavam-na única culpada,
Pela morte do matador aventureiro.

Olhando a arquibancada solitária,
De cada um daqueles assentos.
Ouvia gritos de olé,
Até nos ruídos do vento.

Não fosse um gesto romântico,
Atirando a ele uma flor.
Hoje não choraria a ausência,
Do seu eterno amor.

O luar brinca com as estrelas,
No tabuleiro azul xadrez.
Enquanto que a flor morena,
Tudo daria para vê-lo outra vez.

A madrugada desperta Madrí
Sonolenta e adormecida.
Vagando nas trevas há toureiros
Que já respeitam o direito à vida.



Poesia extraida do Livro Vozes da Alma.
Autoria: Leon Diniz.
Reg. de Direitos Autorais nº 322.435.
Livro 590.Folha: 95 .
Fundação Bibliotéca Nacional. Ano 2004.

Nenhum comentário: