segunda-feira, 13 de outubro de 2008

MEU LIVRO NA WEB

A GRANDE PIRÂMIDE

Acordei tempos depois, senti um cutucão, era o Coronel Rolim me acordando: – “vamos, chegamos”, dizia ele. – “No aeroporto de Cumbica?” Indaguei: – “Não, nós estamos no Egito, em Gisé, la está a Grande Pirâmide de Quéops, desça e não faça perguntas sobre a viagem, pois agora não temos tempo a perder, depois falaremos sobre isso, converse só comigo, não se dirija a mais ninguém, não tente falar com qualquer pessoa que venha encontrar a menos que eu autorize”. Saí do veículo e o vi sumir, deslizando silenciosamente na escuridão sem emitir ruído de motor, - pensei com meus botões, carro zero e importado é outra coisa, não tive tempo de observa-lo direito, e por mais que me esforçasse não conseguia lembrar sua marca ou formato.

Sentei numa pedra ao lado do meu velho amigo, fazia muito frio e eu quase encolhido observava em silêncio, na escuridão, o vulto majestoso e milenar do incrível monumento de pedra. O Tempo foi passando, finalmente alguém se aproximou puxando pelas mãos três camelos. Ele parou diante de nós dizendo: - “doravante este será o nosso meio de transporte”. Quando ele terminou de falar, observei melhor e pude reconhecê-lo, era o senhor. Araken Natan Osires da Luz, o mesmo que dias antes da viagem foi a minha casa, porém não dando tempo para perguntas foi se apresentando: – “Sou Araken Natan, um modesto guia de caravanas, e acho que já nos conhecemos, não?” – “Doravante seguiremos juntos, entretanto quando vocês forem a Belém certamente irão reencontrar o veículo que usaram para chegar aqui e terão a oportunidade de conhecer o seu ilustre condutor”.

- Estou aqui para servi-los da forma como fora combinado previamente; não é mesmo meu querido amigo Rolim? – “De fato tudo como o combinado” afirmou o Cel Rolim: – “Subam no camelo, vamos nos aproximar da entrada da Pirâmide Cósmica”, murmurou o guia. O camelo abaixou-se, seu ventre tocou o solo, subimos na montaria, e seguimos até próximo da Esfinge que há milênios guarda o sítio das três mais importantes pirâmides do Egito. Foi aí que apeamos da montaria, ali não havia guardas de vigia, só nas proximidades das três pirâmides.

Vi quando o senhor Araken, vou chamá-lo sempre de “o nosso guia”, pois foi assim que ele ultimamente se apresentou à nós, seja lá qual for o seu verdadeiro nome, abaixou-se perto da Grande Esfinge e, fazendo um rápido movimento com os pés e com as mãos moveu a areia que cobria a tampa de um pequeno alçapão que descia para um subterrâneo dando passagem apenas e tão somente a uma pessoa por vez. Ele fez o Cel Rolim descer primeiro, em seguida fui eu, bastante desconfiado, a seguir veio ele com uma enorme lanterna na mão, que mais parecia uma tocha emitindo luz de néon, clareando tudo.

Nenhum comentário: