segunda-feira, 2 de março de 2009

VOZES DA ALMA - V.I ( P.12 )

VENHA À MIM OS ANIMAIS

Esta noite tive um sonho,
E logo que acordei fiquei a meditar
Vi-me no interior de majestosa escola
Paciente aguardava um mestre que iria chegar

Eu vestia a mesma capa e empunhava a espada
Que a mamãe um dia pediu-me pra guardar
Dizendo-me ter pertencido a um toureiro
Que em sua juventude aprenderá a amar

Em meus devaneios de pensamentos
Nem percebi quando o mestre chegou
Tocando-me disse - sou Francisco de Assis
Aquele cuja filosofia sua mãe lhe ensinou

Mal suportei a forte emoção
Quando ele me afagou com afeto em seus braços
Dizendo-me estar feliz, pois na Terra
Eu cumpria minha missão com desembaraço

Nossa amizade vem de eras remotas
Dizia-me ele com brandura e carinho
Mas na vida passada optou por ser toureiro
Trocando a paz por caminhos de espinhos

Tua regeneração a muito me comove
Como bom aluno aprendeu a dura lição
Em breve deixará o planeta Terra
Buscando comigo a pureza de outra constelação

Acordei banhado no mais profundo pranto
Apressado fui olhar a capa e a espada na parede
Inacreditável que isso já me pertenceu um dia!
Fui para a varanda meditar deitado na rede

Quem diria que eu um ex-toureiro
Tinha como amigo o bom Francisco de Assis!
É por esta razão que eu amava os animais
E lutava pra fazer a cada um deles feliz!



Poesia extraida do Livro Vozes da Alma.
Autoria: Leon Diniz.
Reg. de Direitos Autorais nº 322.435 Livro 590.
Folha: 95 . Fundação Bibliotéca Nacional. Ano 2004.

Nenhum comentário: