terça-feira, 20 de abril de 2010

VOZES DA ALMA - V.I (P.15)

REGRESSANDO PARA A LUZ

Levitando a uma incrível velocidade
Eu deixava saudoso o planeta Terra
Uma força juvenil despertava em mim
Vindo da caldeira que meu peito encerra

Francisco de Assis seguia silencioso
Observando nos detalhes o meu comportamento
A bela morena familiarizava-me com a paisagem
Surpreso eu me deslumbrava a cada momento

Sentia-me como um estudante em férias
Queria esquecer as lutas e as touradas
Mas o anjo moreno lembrava-me a tempo
Havendo touradas, a missão não está findada

Passamos sem pouso por uma cidadela
Situada entre a Terra e o luar
Era uma colônia espiritual transitória
Para espíritos que deveriam reencarnar

Recordei-me que um dia ali estive
Sendo julgado pelos meus crimes na arena
Só agora percebo o quanto sofre
Um homem vaidoso de mentalidade pequena

Tive vontade de rever o amigo Juanito
Ainda estagiando naquelas paragens
Mas fui lembrado pelo bom amigo Assis
Do caráter de urgência da nossa viagem

Nosso destino é a constelação de Sírios
De forma afável contemplou-me dizendo
Em breve voltará a ver Juanito
Podendo ajuda-lo como estás pretendendo

Qual pássaro banhando-se em chuva de estrelas
Prossigo meu vôo rumo ao infinito
Compreendo que se deus é a imagem do cosmo
Ele é surpreendente e muito bonito

Poesia extraida do Livro Vozes da Alma.
Autoria: Leon Diniz.
Reg. de Direitos Autorais nº 322.435 Livro 590.Folha: 95 .
Fundação Bibliotéca Nacional. Ano 2004.

Nenhum comentário: